Santa Bárbara celebra 100 anos do ex-tabelião João Ayres

O ex-tabelião da Comarca de Santa Bárbara, do 1º Ofício de Notas e Oficial de Registros de Imóveis, o aposentado João Martins Ayres, irmão do advogado criminalista José de São José Ayres (José Ayres), ex-chefe do Departamento de Pessoal da CBUM (atual Gerdau), comemora aniversário de 100 anos de idade na quinta-feira da próxima semana, dia 28 de dezembro. A família Ayres promoverá um almoço festivo entre os filhos do centenário João Ayres, recluso no leito, onde receberá os parabéns dos familiares. Não haverá festa para o evento, mas terá em janeiro o Encontro Anual da Família Pessoa Ayres e Hosken Ayres, a se realizar no Hotel Quadrado, propriedade do empresário santa-barbarense, o advogado José Anchieta da Silva.

João Ayres é um prodígio de memória e testemunha de fatos ocorridos em Santa Bárbara, nos últimos 100 anos. Para isso, ditou as suas memórias para a coach literária, jornalista e autora de diversos livros, escritora Rosemary Penido de Alvarenga, a partir de 2011. A autora do livro escreveu a obra intitulada “João, uma viagem pela vida”, 540 páginas, ilustrado com fotos da família de Catas Altas e Santa Bárbara.
A escritora teve como fonte para o livro, depoimentos orais do viúvo João Ayres e seus seis filhos, Maria Inês (Inezinha), Luís Alberto, George Luís, Rafael e Maria de Lourdes (Lourdinha), Maria Célia (Celinha) e a caçula, Maria Eugênia. A jornalista Rosemary Alvarenga, aproveitou as anotações e textos rascunhados do engenheiro aposentado George Luís Ayres e teve colaboração do engenheiro e designer Rafael Ayres, encarregado de diagramar, ilustrar e fazer a capa do livro de várias gerações de sua família, que culminou na obra “João, uma viagem pela vida”.

A escritora também leu e releu o livro de memórias “abrindo meu coração”, da irmã de João Ayres, a escritora Francisca Ayres de Figueredo (Cecy), viúva do conhecido médico e escritor Darcy Duarte Figueredo, bisneto do barão de Catas Altas. Outro livro romanceado escrito pelo irmão de Cecy, Carlos Hosken Ayres, também irmão de João Ayres, com a sua obra de três volumes intitulada “Edward Hosken, sua vida e sua gente”, que serviu de orientação para Rosemary Alvarenga. Ela também leu o livro do cronista britânico, Richard Burton, historiador inglês, que escreveu “Mineração de ouro em Minas Gerais”, narrando fatos sobre os ingleses de Cornualha, sul da Inglaterra, entre eles os Hosken, que vieram trabalhar na mina de ouro do Gongo Sôco, em Barão de Cocais, entre os anos de 1826 e 1856. O ex-tabelião João Ayres, viúvo de Célia Ayres, é descendente de ingleses (Hosken) e portugueses, que residiram na região do Caraça.

A escritora Rosemary Alvarenga ainda visitou a terra natal de João Ayres, natural de Catas Altas, ex-distrito de Santa Bárbara, para onde se transferiu a família composta de 16 filhos de dona Adélia Hosken Ayres e do ex-tabelião de Santa Bárbara, Arlindo Martins Ayres. A mãe de João Ayres, Adélia Hosken Ayres, é filha dos Hosken, moradores em Catas Altas, de origem inglesa e ela viveu quase 100 anos de idade. A família Pessoa Ayres, hoje é uma tradicional integrante da sociedade de Santa Bárbara. O notável ex-tabelião João Martins Ayres, memória viva e enciclopédia de fatos históricos de Catas Altas e de Santa Bárbara e Barão de Cocais, completa na quinta-feira da próxima semana, dia 28, os 100 anos de vida dedicados à família e ao trabalho no Fórum Desembargador Drummond, de Santa Bárbara.
*Leonel Marques, jornalista e historiador, membro do Instituto História e Geográfico de Minas Gerais, sediado em Belo Horizonte.

Comentários estão fechados

....

Veja também: