Morre Marcelo Oliver aos 50 anos em Belo Horizonte

Causou pesar em Barão de Cocais e Belo Horizonte a morte do consultor de artes cocaiense Marcelo Tavares Oliver, 50 anos, que foi lembrado na última reunião da Câmara Municipal, que apresentou uma Moção de Pesar pelos seus serviços prestados no mundo das artes. Foi também solicitado um minuto de silêncio em sua homenagem e a inserção dessa manifestação na ata dos trabalhos do Legislativo municipal.

Natural de Barão de Cocais, onde nasceu no dia 24 de maio de 1967, sendo o quinto filho do casal professora aposentada Elza de Lourdes Tavares Oliver e do funcionário aposentado da CBUM/Cimetal Siderurgia, Domingos Oliver, ex-presidente do Jabaquara e descendente direto dos ingleses da Cornualha, que vieram trabalhar na mina de ouro do Gongo Sôco, entre os anos de 1826 e 1856, em Barão de Cocais. Marcelo Oliver estudou o ensino fundamental na Escola Estadual Odilon Behrens, seguindo para Ouro Preto, onde cursou Técnico em Metalurgia, na Escola de Minas e Metalurgia. Depois, em Belo Horizonte, formou-se em Economia e Administração de Empresas na UFMG.

Conhecedor exímio de nosso patrimônio histórico e cultural, exerceu a função de consultor de artes em transações nacionais e internacionais por quase duas décadas. Também participou de inúmeras mostras e bienais no Brasil e no exterior. Com seu sorriso farto, grande otimismo, um coração enorme e acolhedor, fez inúmeras amizades por onde passou, segundo palavras da vereadora Marisa Cristina Lopes, autora da Moção de Pesar pela morte de Marcelo Oliver, que foi aprovada por unanimidade pelos seus pares do Legislativo. Ele foi sepultado no cemitério de Barão de Cocais, no jazigo da família Oliver.
*Leonel Marques

Comentário

Comentários estão fechados

....

Veja também: