Dom Walmor apresenta os novos projetos para o Santuário

Foto da reunião no Santuário Nossa Senhora da Piedade

O arcebispo dom Walmor, o padre Fernando César do Nascimento, reitor do Santuário Nossa Senhora da Piedade e colaboradores da Arquidiocese de Belo Horizonte se reuniram na tarde de quinta-feira, 14 de setembro, com representantes de importantes instituições que trabalham para a preservação do patrimônio histórico, cultural, artístico e ambiental em Minas Gerais, entre elas a Secretaria de Estado do Turismo, o Instituto Estadual de Florestas (IEF), o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e o Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha).

Durante o encontro, dom Walmor apresentou ações que estão já sendo realizadas e outras, que estão em fase de planejamento, para o Santuário Nossa Senhora da Piedade – a Casa da Padroeira de Minas Gerais, em Caeté.
Nos últimos anos, a Casa da Padroeira de Minas Gerais está recebendo um número cada vez maior fiéis. Foram 30 mil visitantes em 2010, 300 mil em 2014 e 500 mil no ano passado. Com este importante crescimento, tornaram-se necessários novos investimentos e novos planejamentos.
Entre as importantes iniciativas apresentadas está a Locomotiva da Piedade, que irá garantir a melhoria do trânsito e da circulação, prezando, cada vez mais, pelo conforto e pela segurança dos peregrinos, especialmente nos dias de grande movimento. A Locomotiva e a Estação da Piedade estão sendo viabilizadas por meio de parceria da Arquidiocese de Belo Horizonte e do Governo de Minas.
Também foi apresentado o projeto da Via do Peregrino, uma rota especial, em meio à natureza, criada para os peregrinos que desejarem subir caminhando. Iniciativa que também contribui com a melhoria do acesso ao Santuário.
O projeto do Museu Maria Regina Mundi, espaço especial que reunirá imagens de Nossa Senhora, em seus vários títulos, também foi apresentado para os presentes. O arcebispo destacou que o projeto, do arquiteto Gustavo Penna, foi pensado para se integrar à paisagem da Serra da Piedade de maneira harmônica.

A arquiteta da Arquidiocese de Belo Horizonte, Daniela Duarte, apresentou o projeto de revitalização da Igreja das Romarias, que hoje acolhe cerca de três mil peregrinos, e que irá receber estrutura para a transmissão de Missas pela TV Horizonte e Rádio América, nova estrutura de banheiros para melhor acolhida dos visitantes, entre muitas outras melhorias.
O professor da PUC Minas, Miguel Andrade, apresentou a Associação de Desenvolvimento Integral (Aderi), que está sendo criada e será responsável pela gestão de projetos de educação, conservação e desenvolvimento econômico sustentável para região da Serra da Piedade e outros territórios. Segundo o arcebispo dom Walmor, a Aderi “nasce para ser instrumento que impulsiona clarividências na consciência mineira, à altura das exigências contemporâneas”.

Outras iniciativas previstas para a Casa da Padroeira de Minas que foram citadas: a revitalização da Praça Dom Cabral, a construção de um velário e a implementação de uma central de recolhimento de resíduos sólidos.
A superintendente do Iphan, Célia Corsino, destacou que é muito importante que a Arquidiocese de Belo Horizonte esteja planejando, a longo prazo, as ações para o Santuário Nossa Senhora da Piedade, que é um importante patrimônio cultural e ambiental. Michele Arroyo, presidente do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha) falou sobre a importância de que o Santuário tenha um modelo de gestão que contemple sempre a perspectiva ambiental e religiosa e que as ações propostas viabilizam o aumento no número de visitantes preservando os aspectos históricos e de meio ambiente.

Comentário

Comentários estão fechados

....

Veja também: