Mina do Baú pode gerar 450 empregos em Barão de Cocais

O Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente (Codema) de Santa Bárbara, concedeu uma carta de conformidade para a empresa EMR Mineração Ltda, presidida pelos irmãos e empresários Minervino e Rangel Bethonico, que pleiteia licenciamentos ambientais para a ampliação da mina do Baú, localizada entre os municípios de Santa Bárbara e Barão de Cocais, na região do Gongo Sôco.

O projeto apresentado pela mineradora estima que a produção do minério de ferro deve aumentar cerca de 125%, passando de dois milhões de toneladas por ano para 4,5 milhões. A autorização do Codema de Santa Bárbara, realizada semana passada, foi necessária porque os povoados de Galego e Paiol, pertencem ao distrito de Conceição do Rio Acima, em Santa Bárbara -portanto, na divisa entre os dois municípios e devem ser diretamente impactados por estarem na área diretamente afetada (ADA).

O projeto informa que a área de influência direta (AID) “compreende a extensão das propriedades que sofrerão intervenção direta com a implantação e operação do empreendimento” totaliza 5km de extensão de raio da atual mina do Baú. A região deverá servir para a movimentação de máquinas e pessoas, na fase de implementação, operação e fechamento da mina. As comunidades a jusante (abaixo) da mina do Baú, citadas no projeto de ampliação como área diretamente afetada (ADA), “estão sujeitas à interferências relacionadas a carreamento de sedimentos gerados no processo de exploração para os cursos de água que drenam a região”.

A EMR Mineração Ltda informa através da sua assessoria de comunicação que a ampliação da mina do Baú, entre Barão de Cocais e Santa Bárbara, pode gerar vagas de empregos diretos, aumentando dos atuais 152 funcionários para 453 empregados. A produção de minério deve subir de 25 mil toneladas por mês para 375 mil, utilizando desmonte mecânico de rochas, britagem móvel e beneficiamento de minério a seco.
*Leonel Marques

Comentário

Comentários estão fechados

....

Veja também: