Filmes em estreia nos cinemas esta semana, com as respectivas classificações indicativas

Rainha de copas
Foto de cena do filme
[Dronningen, Dinamarca, 2018], de May el-Toukhy (Arteplex Filmes). Gênero: drama. Elenco: Trine Dyrholm, Gustav Lindh, Magnus Krepper. Classificação: Não recomendado para menores de 18 anos.

Anne é uma advogada do direito das crianças e dos adolescentes. Acostumada com lidar com jovens complicados, ela não tem muitas dificuldades para estreitar laços com seu enteado Gustav, filho do primeiro casamento de seu marido Peter que acaba de se mudar para sua casa. No entanto, a relação que deveria ser paternal se torna uma relação romântica, envolvendo Anna em uma situação complexa, arriscando a estabilidade tanto de sua vida pessoal quanto profissional.

Peterloo [Peterloo, Reino Unido, 2018], de Mike Leigh (Diamond Films). Gênero: drama. Elenco: Rory Kinnear, Maxine Peake, Neil Bell. Classificação: Não recomendado para menores de 14 anos.
A história sobre o marcante episódio na história britânica: o massacre de Peterloo, em 1819, quando o exército do Reino Unido atacou civis que se manifestavam pacificamente em prol da democracia, na praça St. Peter, em Manchester.

Vai que cola – O começo [Vai que cola – O começo, Brasil, 2019], de César Rodrigues (H2O). Gênero: comédia. Elenco: Samantha Schmutz, Marcus Majella, Cacau Protásio. Classificação: Não recomendado para menores de 12 anos.
Muito antes de socializarem quase todos os dias na pensão da Dona Jô (Catarina Abdala), Jéssica (Samantha Schmütz), Ferdinando (Marcus Majella), Máicol (Emiliano D’Ávila) sequer se conheciam. Mas Terezinha (Cacau Protásio) decide organizar uma grande feijoada no Morro do Cerol, onde todos eles se encontram pela primeira vez, da maneira mais inusitada possível.[3]

Legalidade [Legalidade, Brasil, 2019], de Zeca Brito (Boulevard Filmes). Gênero: drama. Elenco: Cléo Pires, Leonardo Machado, Fernando Alves Pinto. Classificação: Não recomendado para menores de 14 anos.
Brasil, 1961. Quando Jânio Quadros renuncia à presidência do Brasil, o vice-presidente João Goulart torna-se o sucessor natural ao cargo. No entanto setores da sociedade, liderados pelos militares, clamavam pelo impedimento da posse de Jango, temerosos de suas posições de esquerda. Liderado por Leonel Brizola (Leonardo Machado), o movimento Legalidade é criado para garantir a posse do vice-presidente, colocando grande parte do Rio Grande do Sul contra o núcleo do exército. Em meio à turbulência política e social, um triângulo amoroso é formado entre Cecília (Cleo Pires), Luis Carlos (Fernando Alves Pinto) e Tonho (José Henrique Ligabue).

Quem você pensa que sou [Celle que vous croyez, França, Bélgica, 2018], de Safy Nebbou (California Filmes). Gênero: drama. Elenco: Juliette Binoche, Guillaume Gouix, François Civil. Classificação: Não recomendado para menores de 16 anos.
Desconfiada de seu marido Ludo, Claire Millaud (Juliette Binoche), de 50 anos, decide criar um perfil falso em uma rede social. Lá, ela atende por Clara, uma bela jovem de 24 anos. Alex, amigo do seu marido, é uma das pessoas com a qual o avatar interage. O homem acaba se apaixonando por Clara, enquanto Claire, por trás das telas, também nutre um sentimento de amor por Alex. Apesar de tudo se desenrolar no mundo virtual, as emoções evocadas são bastante reais, e podem trazer complicações para ambos.

Divaldo – O mensageiro da paz [Divaldo – O mensageiro da paz, Brasil, 2019], de Clovis Mello (Disney). Gênero: drama. Elenco: Bruno Garcia, Ghilherme Lobo, Laila Garin. Classificação: Não recomendado para menores de 12 anos.
O filme “Divaldo – O Mensageiro da Paz” conta a história do líder humanitário brasileiro Divaldo Franco, desde sua infância no interior da Bahia até sua consagração como filantropo, fundador da Mansão do Caminho e orador em prol da divulgação da doutrina espírita no Brasil e no mundo.

Abigail e a cidade proibida [Abigail, Rússia, 2019], de Aleksandr Boguslavskiy (PlayArte). Gênero: aventura. Elenco: Tinatin Dalakishvili, Eddie Marsan, Rinal Mukhametov. Classificação: Não recomendado para menores de 12 anos.
Uma cidade teve suas fronteiras fechadas após uma epidemia tomar conta de grande parte do local. Lá, vive uma jovem chamada Abigail (Tinatin Dalakishvili), que, ainda criança, teve seu pai levado da cidade onde moravam por ter sido afetado por essa doença misteriosa. Mais velha, Abigail decide quebrar as regras e passar por cima das autoridades da região para ir à procura de seu pai. Nessa jornada, ela descobre que ela e a cidade têm poderes mágicos. Classificação indicativa 12 anos, contém violência e drogas lícitas.

Marés [Marés, Brasil, 2018], de João Paulo Procópio (Elo Company). Gênero: documentário. Elenco: Lourinelson Vladmir, Julieta Zarza, Sérgio Sartório. Classificação: Não recomendado para menores de 16 anos.
Valdo é um alcoólico que ainda não se percebeu assim. Um homem cheio de possibilidades que se encerram no quase: talentoso, quase consegue ser um bom profissional; apaixonado, quase consegue ser um bom companheiro. Quase chega a ser um bom pai. Branco, cis, herdeiro, fotógrafo e militante, Valdo se vê desafiado a encarar seu alcoolismo para não perder a guarda da filha.

Tsé [Tsé, Brasil, 2018], de Fábio Kow (Pagu Pictures). Gênero: documentário. Classificação: Não recomendado para menores de 10 anos.
Tsecha Szpigel foi uma judia polonesa que migrou para o Brasil em 1949, onde morreu mais de 50 anos mais tarde. Contada pela própria Tsé, por seus netos e bisnetos, a sua jornada começa no ponto em que sua mãe a atira, ainda criança, de um trem que as leva para um campo de concentração durante o regime nazista. Sozinha, perdida e machucada, Tsé aprende que logo cedo já deve fazer grandes sacrifícios para sobreviver. Classificação indicativa 10 anos, contém violência e drogas lícitas.

Adeus à noite [L’adieu à la nuit, França, 2018], de André Téchiné (Pandora Filmes). Gênero: drama. Elenco: Catherine Deneuve, Kacey Mottet Klein, Oulaya Amamra. Classificação: Não recomendado para menores de 12 anos.
Muriel está emocionada ao ver Alex, seu neto, que veio passar alguns dias na casa dela, antes de ir morar no Canadá. Intrigada com o comportamento do rapaz, Muriel logo descobre que ele está mentindo para ela. A verdade é que Alex está se preparando para uma outra vida. Desesperada, ela terá de agir muito rapidamente.

O fim da viagem, o começo de tudo [Tabi no owari sekai no hajimari, Japão, Uzbequistão, Catar, 2019], de Kiyoshi Kurosawa (Zeta Filmes). Gênero: drama. Elenco: Tokio Emoto, Atsuko Maeda, Ryo Kase. Classificação: Não recomendado para menores de 12 anos.
A jovem japonesa Yoko está com sua pequena equipe de TV no Uzbequistão para filmar um novo episódio para o programa de variedades que apresenta. Apesar do perfil internacional do programa, Yoko tem um jeito discreto e tímido, mas os desafios culturais e pessoais que ela experimentará ao longo da viagem mudaram sua visão da vida.

A música do tempo – Do sonho do império ao império [A música do tempo – Do sonho do império ao império do sonho, Brasil, 2019], de João Velho (Dist. própria). Gênero: documentário. Classificação: Livre.
Neste documentário, a emoção, memórias e as novas perspectivas de futuro se conectam com as músicas do concerto “Do Sonho do Império ao Império do Sonho”, inspirado no mito do quinto império português. A trilha sonora vai da corte de D. Manuel à religião do Tambor de Mina do Maranhão. A obra inclui depoimentos e imagens da visita do grupo a Roberto de Regina, criador do museu dedicado a arte barroca e renascentista.

A classificação indicativa é exercida e divulgada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública com o objetivo é proteger crianças e adolescentes de possíveis danos causados pela exposição a conteúdos inadequados para suas faixas etárias, seja na TV, no cinema ou nos jogos eletrônicos.