O advogado e desportista Arlindo Motta, pai do presidente da Câmara Municipal de Bom Jesus do Amparo, vereador e jornalista Eduardo Motta, vice presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais (SJPMG), pretende lançar o livro de sua autoria sobre a história de sua terra natal, intitulado “Bom Jesus, sua história, sua gente”, de 400 páginas, O lançamento da obra está previsto para o dia 12 de dezembro, data de aniversário de 65 anos de emancipação do município de Barão de Cocais, ocorrido no ano de 1953, sendo primeiro prefeito nomeado, Paulo Queiroga, filho do ex-prefeito de Barão de Cocais e de Cel. Fabriciano, engenheiro civil Pedro Queiroga

O advogado Arlindo Motta, que acompanha o time de futebol de sua predileção, Amparo Futebol Clube, do qual já foi seu presidente, é formado em Direito na Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas), em 1982, é atuante nos fóruns de Barão de Cocais, Itabira e Belo Horizonte, especializado em Direito Previdenciário. Casado com Maria Nadir Motta, sobrinha da centenária cocaiense dona Oswaldina dos Santos Ângelo (dona Naná) que completou 100 anos de idade, em Barão de Cocais e filha do ex-vereador e prefeito de Bom Jesus do Amparo, Raymundo dos Santos Motta, reeleito duas vezes chefe do Executivo Municipal.

O escritor e advogado Arlindo Motta, no seu livro “Bom Jesus, sua história, sua gente”, disseca sobre o povo de sua terra natal, narrando biografias de personalidades bomjesuenses, entre elas, dom Carlos Carmelo de Vasconcelos Motta (Cardeal Motta), bisneto do Visconde de Caeté, ex-arcebispo da arquidiocese de São Paulo e do Santuário da Aparecida do Norte (SP), onde se encontra sepultado. Arlindo Motta, inicia o livro contando a história do pioneiro e fundador de Bom Jesus do Amparo, fazendeiro João Motta Ribeiro, dono da histórica Fazenda do Rio São João, berço da cidade, que integra a Comarca de Barão de Cocais, da qual se emancipou em 1953.
*Leonel Marques

Comentário