A aeronave que levava o presidente Bolsonaro para o Japão para o encontro do G-20 teve o planejamento de voo refeito nesta terça-feira (25) após a notícia de que um militar da Aeronáutica foi detido em Sevilha, na Espanha, suspeito de tráfico e estaria com 39kg de cocaína, segundo o jornal El País. A parada do presidente foi desviada para Portugal.

Em nota divulgada hoje “O Comando da Aeronáutica informa que um militar da Aeronáutica foi detido no aeroporto de Sevilha, Espanha, nesta terça-feira (25), por suposto envolvimento no transporte de entorpecentes em uma aeronave militar. O militar estava em uma nave com outros 21 militar que seguiam para Tóquio, mesmo destino do presidente, e fez escala no aeroporto de Sevilha, onde também faria a aeronave do presidente.

O fato foi confirmado no Brasil. O presidente em exercício, general Antônio Hamilton Mourão (PRTB), disse hoje que “o militar preso no dia anterior em Sevilha, na Espanha, suspeito de tráfico, deveria estar exercendo a ilegalidade por dinheiro…. Então você sabe que o dinheiro é algo… o vil metal corrompe….”

“Os fatos estão sendo apurados e foi determinada a instauração do Inquérito Policial Militar (IPM). Demais informações dependem da conclusão do Inquérito.

/”O Comando da Aeronáutica reitera que repudia condutas dessa natureza, reforça o compromisso com o rigor das investigações e ressalta que dará prioridade na apuração e elucidação do caso, bem como colabora com as autoridades”, conclui a nota.