Foto da nuvem de gafanhotos na Argengtina
Com as temperaturas mais altas no Rio Grande do Sul, fiscais agropecuários da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) de municípios da fronteira oeste e noroeste do Estado aumentam a vigilância sobre a possível entrada da nuvem de gafanhotos vinda da Argentina. “Com essa condição climática, precisamos estar preparados”, alerta o chefe da Divisão de Defesa Sanitária Vegetal da Seapdr, Ricardo Felicetti.

O engenheiro agrônomo destaca a preocupação com a nuvem de gafanhotos que está em Corrientes, na Argentina, a 130 quilômetros do município gaúcho de Barra do Quaraí. “Com a elevação das temperaturas neste fim de semana, estamos apreensivos, mas preparados para o caso de uma eventual ocorrência da praga em território gaúcho. Temos um plano operacional de emergência”.

Segundo Felicetti, houve reunião para tratar de questões operacionais nesse sentido na sexta-feira (17) com representantes do Ministério da Agricultura, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), da Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura e da Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam). “Falamos também sobre a questão dos recursos emergenciais para trabalhar a supressão dos surtos de gafanhotos”.

Felicetti informa que os produtores rurais devem ficar atentos aos possíveis surtos dos insetos e comunicar sua presença imediatamente à inspetoria de defesa agropecuária da Seapdr ou ao escritório municipal da Emater/RS-Ascar mais próximo.