O ex-aluno do antigo Colégio do Caraça, aposentado Rodolpho Baptista Abreu, 80 anos de idade, lançou seu primeiro livro intitulado “Atribulações de um caracense no Caraça” (biografia) de 192 páginas. Rodolpho estudou no seminário do Caraça, quando menino e adolescente, mas não concluiu o ensino médio e não continuou a preparação para ser padre. No livro não se informa em que se ocupou até agora, quando relembra com afeto o que foi sua vida no Santuário do Caraça. Usa o nome de um livro de Júlio Verne, “Atribulações de um chinês na China”, para intitular o seu livro “Atribulações de um caracense no Caraça”. São as pequenas aventuras do dia a dia de um ginasiano e colegial no antigo colégio, entre os anos de 1950 a 1954.

Rodolpho Abreu, que mais tarde seria eleito presidente da Associação dos Ex-Alunos Lazaristas e Amigos do Caraça (Aealac) na década de 1990, faz parte de uma galeria prodigiosa de ex-alunos, que contaram os seus tempos de Caraça, escrevendo com um coração bem formado e agradecido. O seu livro se divide em três partes. A primeira é sua autobiografia, saborosa, cheia de pormenores pitorescos de todo tipo, agradável de ler, lembrando os tempos de aluno caracense. A segunda parte, são as cartas dele censuradas pelo padre do Caraça, para a sua família e as respostas, em geral para a sua mãe, outra preciosidade do livro. A última parte são poemas e contos escritos por ele, com que deseja mostrar aos leitores como está o seu momento.

Ele prepara outro escritos, mais confessionais, certamente mais sofridos com que completa sua autorrevelação e abre novos programas não mais infantis, mas de um adulto que pode amadurecer pelo que viveu, por suas “atribulações”. O livro pode ser adquirido no Caraça ou com ele mesmo.
*Leonel Marques

Comentário