Imagem decorativa, carnê

Dados da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) de julho apontam que os consumidores estão tentando expandir as opções no mercado de crédito para complementar a renda, seja para pagar dívidas ou consumir mais. Mas houve uma restrição maior na disponibilidade desses recursos pelos cartões de crédito, ao passo que os carnês estão se tornando uma opção viável, com mais facilidade de acesso, com maior busca e menor endividamento. São sinais da conjuntura econômica, com desemprego alto, economia em ritmo lento, crédito seleto e consumidores endividados ou cautelosos.

A pesquisa é realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

A FecomercioSP avalia qu “isso é importante para o comércio, pois, tendo em vista que o cenário econômico não deve mudar no curto prazo, se o empresário conseguir ampliar as formas de pagamento e inserir os carnês como uma opção aos clientes, caso seja viável e característico do negócio, conseguirá torná-lo mais atrativo por conta da flexibilidade. Quem possuir um fluxo de caixa bem gerenciado, terá grandes chances de sair desta turbulência mais fortalecido”. É importante saber como analisar esse resultado comercial tanto no curto como no longo prazo.

Os pequenos negócios podem ainda optar, neste momento, por uma precificação acessível, reduzindo margem de lucro, e, claro, sempre possibilitando as melhores condições de pagamento. É essencial que o varejista continue buscando opções de maquininhas com as menores taxas e com o recebimento dos recursos quase que imediato. A FecomercioSP ressalta que ter acesso a essa flexibilidade é um grande trunfo para a melhoria do fluxo de caixa e para não atrasar o pagamento de impostos, funcionários, etc. Por isso, é importante saber escolher a maquininha ideal para as pequenas empresas, com recebimentos mais rápidos e com taxas reduzidas.