class="post-template-default single single-post postid-15289 single-format-standard wp-custom-logo blog-post header-layout-default">

Foto de alagamento Rio de Janeiro
A frente fria que mudou o tempo no Sudeste do Brasil, vai se afastando do litoral da Região durante o fim de semana, mas este sistema deixa uma convergência de ventos no continente, que vai manter uma grande quantidade de umidade nos próximos dias.

O tempo vai continuar bastante carregado nos próximos dias e os acumulados de chuva serão bastante elevados, principalmente, entre o centro-norte do Rio De Janeiro , centro-sul do Espírito Santo e o centro-leste de Minas Gerais. A previsão inclui as capitais Vitória e Belo Horizonte . Áreas entre o Vale do Rio Doce e a Zona da Mata Mineira também podem enfrentar problemas. A Climatempo alerta para o risco de alagamentos, transbordamentos de rios e córregos e até deslizamentos nestas regiões.

A situação é muito delicada nestas áreas e é válido lembrar que, no início deste ano de 2021, o grande volume de chuva que caiu na região entre a Zona da Mata de Minas Gerais e o Noroeste do estado do Rio De Janeiro, elevou os níveis dos rios das bacias do rios Muriaé e Pomba nestes estados. O rio Muriaé transbordou deixando desabrigados em Patrocínio de Muriaé. Para os próximos dias, com a grande quantidade de chuva prevista, não dá para descartar que isso ocorra novamente.

O pior da chuva fica concentrado entre o fim de semana e a segunda-feira, mas ainda não vai parar de chover ao longo da próxima semana. Portanto, o alerta continua para estas regiões. Volumes entre 100 e 200mm podem ser registrados nas áreas citadas acima, como indica o mapa.

Com o solo encharcado e com nível dos rios e córregos elevados, qualquer chuva agora é motivo de preocupação. A população deve ficar atenta nos próximos dias.

Nas demais áreas do Rio de Janeiro, inclusive no Grande Rio, no sul de Minas, região do Triângulo Mineiro e em São Paulo , até pode chover em alguns pontos nos próximos dias, mas não há expectativa de grandes volumes, como nas demais áreas do Sudeste.
Fonte: Climatempo