Os assinantes do Rio Grande do Sul, desde segunda-feira (2/9), podem receber alertas de desastres naturais em suas TVs por Assinatura. Segundo a Anatel,esta é a continuidade do projeto piloto de Notificação de Alertas via TV por Assinatura, feito nos estados de Santa Catarina e Paraná. Com a conclusão dos testes e a validação da solução no piloto, o cronograma de implantação será aplicado para todo o País.

A Anatel informou que coordena com as operadoras de telefonia móvel, de TV por Assinatura e com os órgãos vinculados à Defesa Civil a implantação do sistema de notificação de alertas de riscos de desastres naturais junto à população.

Os alertas são enviados pelo Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad) e pela Defesa Civil dos estados e municípios, na iminência de eventos como alagamentos, enxurradas, deslizamentos de terra, vendavais e chuvas de granizo.

Até o final de 2019, assinantes do serviço de todo o País contarão com os alertas de emergência, conforme o seguinte cronograma:

Estados e Regiões
2/9/2019 – RS
23/9/2019 – ES, MG, RJ
21/10/2019 – SP
18/11/2019 – Centro-Oeste e Norte
16/12/2019 – Nordeste

Como funciona
O cliente de TV por Assinatura receberá a mensagem de alerta em formato de um pop-up (imagem sobreposta à tela) com tempo de exposição de 10 segundos, com opção de o assinante fechar o pop-up se desejar.

Não será necessário cadastro por parte dos assinantes indicando interesse em receber as notificações de emergência pela TV paga, nem é possível bloquear o recebimento das mensagens.

A notificação de desastres naturais, via TV por Assinatura, é complementar ao encaminhamento de alertas por mensagem de texto (SMS), para as ocorrências mais graves. O projeto de nacionalização do envio de alertas de emergência via SMS foi concluído em 2017. Ao total, foram disparadas mais de 700 milhões de mensagens para 6,7 milhões de clientes da telefonia móvel de todo o País, entre fevereiro de 2017 e agosto de 2019.

De acordo com a Anatel, a exemplo de países referência em comunicações de emergência em situações de preparação e respostas a desastres, esta nova ferramenta foi integrada em uma arquitetura funcional única. Dessa forma, o técnico da Defesa Civil no momento da emissão do alerta determina o conteúdo, a abrangência geográfica e os canais de comunicação (SMS e TV por Assinatura) a serem utilizados.