Foto decorativa

O Inec (Índice Nacional de Expectativa do Consumidor) passou de 47,0 pontos em junho de 2019 para 47,3 pontos em setembro. O crescimento de 0,3 ponto não representa mudança significativa da confiança do consumidor no período, mas interrompe sequência de duas quedas consecutivas. Assim, o índice parou de se afastar da linha divisória de 50 pontos, o que mostraria maior falta de confiança do consumidor.

O índice continua acima da média histórica de 46,1 pontos e também é 2,0 pontos superior ao registrado em setembro de 2018.

O Inec continua a recuar na região Sul – o índice da região registrou a terceira queda consecutiva. A confiança continua menor na região Nordeste – onde o índice segue abaixo da média histórica – e entre aqueles com renda familiar mensal de até um salário mínimo.

A maioria dos índices que compõem o Inec evoluiu positivamente entre junho e setembro de 2019. Entre eles, destaca-se o índice de endividamento, que recuou de 51 para 49,6 pontos, ou seja, mostrava aumento e agora mostra estabilidade do endividamento, uma vez que o índice agora está muito próximo da linha divisória. O índice de situação financeira também mostra situação mais favorável, com o crescimento de 1,2 ponto.

O índice de expectativa de inflação, por outro lado, conteve a melhora da confiança ao aumentar 1,8 ponto em setembro, alcançando 61,4 pontos. É o terceiro aumento consecutivo do índice, que revela preocupação crescente com a evolução dos preços.