Foto de comemoração das jogadoras brasileiras

A seleção feminina da França é adversária da seleção brasileira no jogo de domingo (23, no Estádio Oceáne, em Le Havre, às 16h (Horário do Brasil), valendo pelas oitavas de final da Copa do Mundo. A adversária do Brasil foi definida ontem após a vitória do Chile sobre a Tailândia por 2×0 – se a vitória do Chile com diferença de três gols a adversária do Brasil seria a Alemanha.

A França é a quarta equipe no ranking da FIFA, e tem no plantel oito jogadoras atuais campeãs da Champions League Feminina pelo Olympique de Lyon.

O jogo será o segundo entre as duas equipes em uma competição oficial. O primeiro foi na Copa do Mundo de 2003, nos Estados Unidos. Ainda na fase de grupos, Brasil e França empataram em 1 a 1, com gols de Katia Cilene e Marinette. Neste domingo, as duas seleções irão escrever um novo capítulo dessa história.

De 2003 pra cá, Brasil e França se enfrentaram sete vezes em duelos recentes. Foram dois empates e cinco vitórias da França. O último encontro foi em um amistoso em novembro de 2018, em Nice, quando o Brasil foi superado pelo placar de 3 a 1. As Canarinhas vão em busca da primeira vitória verde-amarela.

– Eu acho que a gente vem em uma crescente. Antes de começar o Mundial tivemos algumas derrotas, mas sabíamos que íamos deixar tudo para trás. É Copa do Mundo, é outra realidade, é outra atmosfera e sabíamos que chegaríamos aqui e daríamos o nosso melhor. A gente conseguiu a vitória contra a Jamaica, fizemos um bom jogo com a Austrália, e agora, essa última vitória com a Itália, que foi super importante até para nos dar confiança para a próxima fase – acrescenta Andressinha.