foto do presidente Bolsonaro

Os três indicadores que medem a popularidade do presidente Jair Bolsonaro registram piora entre abril e junho de 2019. O percentual dos que avaliam o governo como ruim ou péssimo sobe de 27% para 32%, enquanto o percentual da população que avalia o governo como ótimo ou bom oscila, indo de 35% para 32% (dentro da margem de erro da pesquisa, de 2 pontos percentuais para cima e para baixo).
Gráfico da pesquisa
Os dados são da pesquisa feita pelo Ibope para a Confederação Nacional da Indústria, divulgada nesta quinta-feira (27/06). Foram realizadas 2.000 entrevistas em 126 municípios, no período 20 a 23 de junho de 2019. A margem de erro estimada é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra. O nível de confiança utilizado é de 95%.
No que diz respeito à maneira de governar do presidente Bolsonaro, o percentual de desaprovação cresce de 40% para 48%, enquanto a aprovação recua de 51% para 46%. A confiança no presidente também diminui. O percentual dos que confiam no presidente passa de 51% para 46% e o dos que não confiam aumenta de 45% para 51%.
Com relação às ações e políticas por áreas específicas, o maior crescimento da insatisfação ocorre na área de Educação. O percentual dos que desaprovam a atuação do governo nessa área sobe 10 pontos percentuais, de 44% para 54%, e o percentual dos que aprovam cai de 51% para 42%. A queda na popularidade do presidente é maior entre as mulheres, entre os respondentes com até a quarta série da educação fundamental, entre os brasileiros com menor renda familiar e entre os residentes nas regiões Norte/Centro-Oeste e Nordeste. Cabe ressaltar que parcela importante da mudança deve-se à redução do percentual dos indecisos, ou seja, aqueles que não souberam ou não quiseram responder a pergunta.