O delegado de Polícia Civil de Santa Bárbara, Domiciano Monteiro de Castro Neto, informou que as investigações envolvendo a Câmara Municipal de Santa Bárbara ainda não acabaram e podem ser abertos outros inquéritos. Ele não deu maiores informações sobre o andamento dessas investigações, mas informou que há indícios de outros crimes supostamente cometidos nos últimos anos por vereadores e outros envolvidos.

Existe a possibilidade de que sejam utilizadas informações descobertas pela Polícia Civil em computadores e telefones de vereadores e funcionários da Câmara Municipal, apreendidos em julho, durante a fase inicial da operação Apollo 13. Nos seis inquéritos concluídos pelo delegado Domiciano Neto e que já foram entregues à Justiça, são citados mais de 50 crimes, incluindo envolvimento de vereadores, assessores e empresários em dispensa ilegal e fraude em licitação, interferência nas investigações, que apuravam gastos irregulares em diárias, além de formação de organização criminosa, falsidade ideológica, falsificação de documentos, peculato, corrupção passiva e prevaricação, entre outros.

Levantamento da Polícia Civil de Santa Bárbara aponta que o rombo causado aos cofres públicos ultrapassam R$ 4 milhões.
*Leonel Marques

Comentário