O dia 8 de fevereiro ((sábado) foi lembrado por moradores de Socorro, Piteiras, Tabuleiro e Vila do Gongo, quando na mesma data de 2019, a sirene tocou à noite, desalojando os moradores daquelas localidades para não mais retornar ao povoado. Neste dia , na altura da estrada de terra rumo os povoados de André e Cruz dos Peixoto, mostrando ao longe o povoado de Socorro, abandonado há um ano, a celebração de uma missa campal foi oficiada pelo vigário da paróquia de São João Batista de Barão de Cocais, padre Antônio da Paixão (Nequinho) com a presença dos moradores de Socorro, Piteiras, Tabuleiro e Vila do Gongo, que estão alojados em casas alugadas e hotéis de Barão de Cocais e Santa Bárbara.

NO domingo, dia 09, no Santuário São João Batista do Morro Grande, em Barão de Cocais, foi celebrada missa mensal, às 15h, para os moradores de Socorro, sob as vistas da imagem da padroeira do povoado, Nossa Senhora Mãe Augusta de Socorro, colocada no altar-mór da igreja, lotada de devotos da santa. O celebrante, padre José Antônio de Oliveira, coadjuvado pelo diácono José Apolinário, lembrou o aniversário em um ano que os moradores dos povoados saíram ás pressa, apenas com a roupa do corpo, de suas casas que estão abandonadas até hoje, com o povoado virando uma “cidade fantasma”.

No sábado, após a missa campal, os desalojados saíram em carreata até o centro de Varão de Cocais, concentrando -se na praça de eventos José Furtado e de lá rumaram à pé até a praça Nossa Senhora Aparecida, onde fizeram protesto contra a Vale, responsável pela remoção forçada, devido ao risco de rompimento da barragem Sul Superior da mina do Gongo Sôco. A Rede Globo-Minas fez a cobertura desde a missa cmpal até o centro de Barão de Cocais, quando o repórter Carlos Eduardo Alvim entrevistou moradores. A reportagem também fez flashes do povoado de Socorro e a barragem do Gongo Sôco, que foi ao ar ao meio dia e à tarde, no MG-TV, jornal Hoje e Jornal Nacional, lembrando o dia 8 de fevereiro de 2019, quando a imprensa nacional e internacional permaneceu uma semana em Barão de Cocais, diante da anunciada possibilidade do rompimento da barragem de Gongo Sôco -o que não ocorreu até hoje. O jornal Diário de Barão de Cocais, em edição especial tamanho standard, de 12 páginas, contendo fotos do povoado de Socorro, abandonado e enrtrevistas com os desalojados, entre eles, o morador mais antigo do povoado, José Gomide, de 94 anos de idade, circulou excepcionalmente no sábado, dia 8.