class="post-template-default single single-post postid-14935 single-format-standard wp-custom-logo blog-post header-layout-default">

foto de Edina e Neuza

A noite já se aproximava quando Edina Alves e Neuza Back chegaram ao Complexo Esportivo Doutor Nicolino de Lucca, em Jundiaí, no último sábado (16). Pela frente, elas teriam um dos maiores testes de suas vidas: a prova física da FIFA para arbitrar o Mundial de Clubes, no Catar. Mas a dupla brasileira se acostumou a quebrar barreiras. Este seria apenas mais um desafio.

Depois de mais de uma hora de provas intensas, as duas se reencontraram no centro da pista de atletismo, cansadas e cheias de orgulho. Acabavam ali quaisquer dúvidas: elas serão as primeiras mulheres a comandar um jogo masculino em uma competição da FIFA.

Pioneiras, Edina e Neuza viajarão para representar o sonho delas e de tantas outras mulheres. Elas têm noção da responsabilidade que carregam e do tamanho da confiança depositada nelas.

“É o maior desafio da nossa carreira. É a primeira vez que vai ter mulher no evento adulto, a gente precisa ir lá e corresponder para que essa porta fique aberta. (…) Eu e Edina sempre pedíamos para ir em competições masculinas internacionais. Agora está chegando essa oportunidade. Precisávamos passar no teste físico e, agora que passamos, dá para comemorar que a gente vai”, reforçou Neuza.

Com esse sentimento misto de orgulho e responsabilidade, a dupla, que pertence ao quadro internacional da CBF,vai ao Catar para fazer história. Afinal, esta é mais uma página da história do futebol que está prestes a ser escrita por uma brasileira.

“Felicidade imensa em poder representar o nosso país. Eu tenho um orgulho muito grande de representar o Brasil em eventos da FIFA, da Conmebol e quero desempenhar um bom trabalho. Porque nós tivemos grandes árbitros em competições da FIFA e da Conmebol e não quero decepcionar eles, nem a minha família”, afirmou Edina.