Foto noturna da estufa iluminada
Luzes verdes tomaram conta da estufa do Jardim Botânico, um dos mais importantes cartões postais de Curitiba, ao anoitecer de quinta-feira (31/3). A iluminação do espaço é uma homenagem, que seguirá por todo o mês de abril, a todos os profissionais de saúde que estão na linha de frente de combate à covid-19 na capital paranaense.

“O poeta italiano Dante Alighieri disse que ‘o Inferno é onde se perde toda esperança’.A esperança não pode ser perdida nunca. Por isso os tons de verde na estufa do Jardim Botânico de Curitiba. A cor da esperança é também o verde esmeralda do anel de graduação dos profissionais de saúde”, disse o prefeito Rafael Greca, em suas redes sociais.

Sistema de Saúde

Ao todo, 8,7 mil profissionais da rede municipal da saúde de Curitiba trabalham no combate à pandemia. Para isso, todo o sistema de saúde foi reorganizado. As modificações contemplam a abertura de 237 leitos de UTI na capital e mais 607 leitos de baixa complexidade em toda a rede do município (pública e particular), reorganização de unidades básicas de saúde, remanejamento de profissionais e alteração do fluxo das Unidades de Saúde.

Além da reorganização do sistema, Curitiba está realizando a contratação de mais 50 médicos e 358 enfermeiros e técnicos de enfermagem; abriu um call center para tirar dúvidas da população sobre o novo coronavírus e é a primeira cidade do país a oferecer vídeoconsulta para pacientes com suspeitas da covid-19.

Os 237 novos leitos de UTI representam um crescimento de 31% nas vagas de tratamento intensivo de Curitiba (eram 761 até aqui). Considerando os novos leitos de UTI (237) e demais novos leitos (607), há uma acréscimo de 15% na rede toda (sobre a base 5.623).

Com a reorganização do sistema, 11 unidades de saúde passaram a funcionar exclusivamente para vacinação do Calendário Nacional de Vacinação do Ministério da Saúde. Fazendo a imunização de todas as doenças, exceto contra influenza (gripe).

Em 74 unidades de saúde, o fluxo passou a ser dividido logo na entrada, separando fisicamente as pessoas com sintomas suspeitos do novo coronavírus das que apresentam outras urgências (como pressão alta e atendimentos essenciais, como pré-natal, pacientes com condições crônicas descompensadas e outros casos).

Com a mudança, 26 unidades, bem como as 11 dedicadas à vacinação, transferiram o atendimento para unidades próximas e todos os profissionais desses locais reforçaram o atendimento no restante da rede.

Os atendimentos eletivos (aqueles que são agendados e que não têm urgência) estão suspensos momentaneamente. Além disso, as receitas de medicamentos de uso contínuo foram renovadas automaticamente por mais 90 dias.

Para usuários a partir de 70 anos ou com qualquer condição crônica (diabéticos, hipertensos e imunodeprimidos), a entrega dos medicamentos está sendo realizada no domicílio ou algum familiar pode fazer a retirada na unidade de saúde de referência. Materiais para curativo e bolsas de colostomia seguem a mesma lógica.

Cinco UPAs (Boqueirão, Boa Vista, Cajuru, Sítio Cercado e Pinheirinho) ganharam espaços externos para atendimentos de casos respiratórios. Além disso, os hospitais públicos e UPAs receberam pulverização nas áreas externas, com hipoclorito de sódio e peróxido de hidrogênio.
Fonte: Comunicação/PMC