class="post-template-default single single-post postid-1616 single-format-standard wp-custom-logo blog-post header-layout-default">

A empresa de mineração Vale, em parceria com a Prefeitura de Barão de Cocais, encerrará na próxima terça-feira, dia 29 de maio, a I Exposição sobre Mineiridades (Reencontros) do Memorial Vale itinerante, que está no salão do prédio da Secretaria Municipal de Educação, rua Mauro Faria, nº 290, bairro Viúva, atrás do Ginásio Poliesportivo. Alunos das escolas municipais, estaduais e particulares de Barão de Cocais e seus familiares, estão visitando a exposição e voltam encantados após assistirem vídeos sobre caminhos dos bandeirantes, igrejas barrocas mineiras e o cantor Milton Nascimento, Casa Grande do Noroeste e Fazendas de Minas, além do vídeo principal na antessala, denominado Reencontros. Chama a atenção neste último vídeo , Reencontros, que retrata sobre personagens de três cidades da região, Santa Bárbara, Barão de Cocais e Itabira, onde a Vale atua.

Em Santa Bárbara, foram entrevistados a tabeliã Isméria Lyrio Brant, o farmacêutico Hely Pessoa de Araújo e empresária Vânia Aparecida, que falaram de suas habilidades e sobre a cidade onde nasceram. O mesmo aconteceu com personagens entrevistados em Barão de Cocais, como a professora Ivanete Nepomuceno e a fazenda histórica de sua família, natural do povoado do Egas, no distrito de Cocais; o músico Afonso Tarcísio Rodrigues e o aposentado Dimas Alexandre e sua esposa Maria Aparecida, sentados na praça de Nossa Senhora Aparecida, no centro comercial da cidade. O músico Tarcísio, também sentado na praça da Matriz Santuário, exibiu ali os seus dotes musicais, tocando o seu saxofone, como integrante do conjunto de serestas Barão ao Luar. Mas no interior do salão do prédio da Secretaria de Educação, estão expostos uma coleção de amostras de minérios como piroluzita (manganês), ouro de aluvião, barra de ouro, minério contendo prata e ouro, caulim, gibsita, pó de grafita, rocha fosfática, pirocloro (nióbio de Araxá-MG), liga de ferro nióbio, de Araxá, entre outros tipos de minérios. Ainda, exposição de imagens sacras, estandartes, imagens de barro cozido, conjunto de vestimentas de renda, jornais antigos como o V da Vitória, editado em 1943, e o Folha Cocaiense, de 1950, entre fotos da mina de ouro do Gongo Sôco (1826-1856), Solar do Barão de Catas Altas, em ruínas em Gongo Sôco e o Solar do Barão de Cocais já demolido e que situava de frente à igreja de Santana (1769) na Vila Colonial de Cocais, além de utensílios interativos como registro de fotografia dos visitantes e pontuação de avaliação sobre a opinião dos visitantes à exposição Memorial Vale Itinerante, que está exposta em Barão de Cocais, desde 27 de abril e se estenderá até dia 29 de maio, dia de aniversário natalício do jornalista Leonel Soares Marques, em Barão de Cocais, sua terra natal.
*Leonel Marques

Comentário