Foto da Nasa com incêndios em Rondônia, Amazonas, Pará e Mato Grosso, em agosto

Agência Câmara Notícias

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, anunciou por meio de suas redes sociais nesta quinta-feira (22) que a Casa vai criar uma comissão externa para acompanhar as queimadas que atingem a Amazônia. Ele também informou que vai realizar uma comissão geral nos próximos dias para propor soluções ao governo sobre o incêndio que ocorre na região.

“É importante para mantermos forte nossas exportações do agronegócio e preservar o nosso meio ambiente”, disse o presidente.

As queimadas na floresta Amazônica têm sido objeto de discussão no Plenário da Câmara nos últimos dias. Na sessão desta quarta-feira (21), o líder da oposição, deputado Alessandro Molon (PSB-RJ), e o deputado Raul Henry (MDB-PE), propuseram a realização da comissão geral.

Molon afirmou que o pedido foi aceito por Rodrigo Maia e disse ainda que o Parlamento tem que contribuir com esse debate para recuperar a imagem do País no exterior.

Deputados criticam a política ambiental

O avanço de queimadas na região amazônica e a política ambiental do governo Bolsonaro vem sendo alvo de críticas no Plenário da Câmara dos Deputados. O tom dos discursos foi majoritariamente de alerta para os efeitos da degradação.

Integrante da Frente Parlamentar Ambientalista, o deputado Airton Faleiro (PT-PA) ressaltou que o grupo e a Comissão de Meio Ambiente da Câmara receberam nesta quarta-feira (21) um abaixo-assinado com mais de 1 milhão brasileiros pedindo providências do Congresso para garantir a preservação da Amazônia.

Airton Faleiro destacou que os agricultores que aderirem à política de degradação poderão ser prejudicados no cenário internacional. “Essa é uma canoa furada, que vai levar o Brasil a perder contratos no exterior. Somos defensores de uma política equilibrada do ponto de vista social e ambiental”, disse.

O temor de um eventual boicote internacional e o impacto da nuvem de fumaça resultante das queimadas levaram o líder do Podemos, deputado José Nelto (Pode-GO), a sugerir uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) para investigar as queimadas na região amazônica.