Causou pesar em Barão de Cocais a morte do jovem estudante cocaiense Arthur Francisco Reis Faria, 19 anos, neto do topógrafo Francisco Xavier de Assis Filho (Chiquinho Topógrafo) e filho da divorciada Patrícia Reis. Arthur faleceu no Hospital João XXIII, em Belo Horizonte, para onde foi levado em coma, após ser atropelado por uma moto, quando atravessava na faixa de pedestres, na rua Waldemar das Dores, próximo à Lanchonete Kathuta, na Vila São Geraldo, no centro de Barão de Cocais.

O acidente ocorreu na semana passada e o jovem Arthur teve que ser removido do Hospital Municipal Waldemar das Dores, para Belo Horizonte, em um helicóptero do Corpo de Bombeiros. O neto de Chiquinho Topógrafo tinha uma válvula na cabeça e foi submetido a cirurgia para retirada de um tumor anos atrás e, por isso, tinha problema de locomoção e não tinha condições para correr da moto ao atravessar a rua Waldemar das Dores.

Testemunhas garantiram que Arthur Faria estava sobre a faixa de pedestres, quando foi atingido pela moto CG Titan verde, placa HF1-4351, pilotada por Victor Henrique dos Reis, 20 anos, preso em flagrante. O acidente ocorreu por volta das 14h30 e com o impacto o jovem bateu a cabeça e teve hemorragia na região da nuca. Os primeiros socorros foram realizados pelo Corpo de Bombeiros Voluntários de Barão de Cocais. Foi transportado imediatamente pelo helicóptero Arcanjo 3, que veio de Belo Horizonte com uma equipe mista de bombeiros, médico e enfermeiro do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu). A médica Carolina Santos, do Samu, confirmou o traumatismo craniano e o estado de coma, após ser atendido pelos médicos do Hospital Municipal de Barão de Cocais.

Arthur Faria era muito popular na cidade, onde era comum vê-lo andando de bicicleta e também de skate, ou com um violão debaixo do braço. Praticava capoeira e tinha concluído o ensino médio ano passado. Sempre participava de eventos em Barão de Cocais. Muito comunicativo, Arthur Faria chegou a trabalhar no consultório do médico veterinário Wagner Mores, de março a dezembro do ano passado e, depois, passou a auxiliar o avô, Chiquinho Topógrafo, na firma de topografia instalada no prédio do Shopping de Barão de Cocais. Cumpria os horários no consultório do veterinário Wagner Moraes com muita responsabilidade. Ele adorava cuidar dos animais, fazia isso de uma forma muito fraterna e pura. Ele era uma pessoa muito diferente e vai deixar muitas saudades, contou o médico veterinário.

O jovem Arthur Francisco Reis Faria foi sepultado no Cemitério de Barão de Cocais, após a homilia do diácono Apolinário dos Santos, que deixou emocionados familiares e amigos que foram despedir do jovem que encantava os cocaienses.
*Leonel Marques

Comentário