Foto de fiéis junto à basílica

Congonhas recebe romeiros e turistas com gratuidade e programação especial durante as festividades do Jubileu
A Cidade dos Profetas já está com um clima diferente, a Ladeira Histórica, cheia de vida. Os Ipês, já floriram pra anunciar a chegada de mais uma edição do Jubileu do Senhor Bom Jesus: a festa da fé, devoção e cultura que acontece todos os anos de 7 a 14 de setembro. São mais 200 anos de tradição, e o Museu de Congonhas estará de portas abertas para receber as centenas de milhares de pessoas que vêm para pedir, agradecer e desfrutar de umas das maiores e mais antigas peregrinações religiosas de Minas Gerais.

Os romeiros e turistas terão a oportunidade de conhecer o Museu de Congonhas gratuitamente do dia 7 ao dia 22 de setembro, inclusive aos sábados, domingos e feriados, das 9h às 17h. Já o Museu da Ladeira, não funcionará a partir do dia 3 de setembro, devido a sua localização na Ladeira Histórica, onde as barraquinhas são instaladas.

O Santuário de Bom Jesus de Matosinhos é o principal palco das celebrações religiosas, realizadas pela Reitoria da Basílica do Senhor Bom Jesus de Matosinhos, com apoio da Arquidiocese de Mariana. No dia 7, as missas acontecem às 7h, 10h, 11h (Grito dos Excluídos), 15h (abertura oficial) e às 18h. De 8 a 13, as celebrações acontecem às 6h, 8h, 10h, 15h e às 18h. E no dia 14, encerramento da festa, são realizadas missas às 6h, 8h, 10h e 15h (encerramento).

Na quarta-feira, dia 11, o Museu de Congonhas recebe a tradicional Roda de Violeiros, a partir das 20h. O evento reúne músicos e romeiros de Congonhas e região para uma noite agradável que acontece no anfiteatro do Museu. Este ano, durante o período do Jubileu,  todos que visitarem o Museu, e quiserem, poderão fazer parte da exposição. A equipe estará preparada para fotografar e projetar a imagem dos visitantes ao final do percurso da visitação.

Outra novidade é a exibição da exposição inédita “Bom Jesus de Matosinhos de Portugal”. A mostra, que reúne imagens do fotógrafo lusitano Sérgio Jacques, celebra a fé, a cultura, a devoção, e sobretudo, a união e geminação entre Congonhas (Brasil) e Matosinhos (Portugal), cidades que cultuam a mesma devoção ao Senhor Bom Jesus. As fotografias registram o Jubileu português dedicado ao Santo, tradicional festividade realizada lá anualmente no mês de junho. A exposição, uma realização da Câmara Municipal de Matosinhos em parceria com a Prefeitura de Congonhas

A devoção ao Senhor Bom Jesus de Matosinhos chegou a Minas Gerais com o fiel português Feliciano Mendes, que veio em busca de ouro e, nessa procura, perdeu a saúde. Fez, então, uma promessa ao Bom Jesus e, quando a graça foi alcançada, empenhou-se em construir o Santuário de Bom Jesus de Matosinhos, em 1757. Toda essa história é contada no Museu de Congonhas, primeiro museu de sítio do Brasil, criado justamente para fazer a interpretação do Santuário, que é Patrimônio Mundial.