Para que é fã de docucmentários em curta-metragem, a Netflix apresenta três próximos lançamentos:

Geração Claudia Kishi (10 de julho)

Foto de Divulgação
Muitas mulheres de origem asiática se sentiram representadas por Claudia Kishi pela primeira vez na mídia. Com papel de destaque na bem-sucedida série de livros “The Baby-Sitters Club”, ela foi uma das poucas personagens de origem asiática na cultura popular dos anos 1980 e 1990. Claudia não só foi protagonista atípica como desafiou os estereótipos dos personagens asiáticos, pois era criativa, popular e até ia mal na escola, por incrível que pareça. Ela foi uma grande revelação para leitoras que queriam se ver na mídia como um ser humano pleno e realizado, e não uma mulher exótica ou o braço direito de alguém.

Por ser artista, Claudia serviu de exemplo para jovens criadoras, e muitas estão fazendo trabalhos inovadores hoje em dia. Geração Claudia Kishi tem um elenco de artistas e escritores americanos de origem asiática, incluindo Yumi Sakugawa, Sarah Kuhn e Phil Yu. Com muito carisma, nostalgia, recordações pessoais e colagens caseiras em stop motion, o filme explora de modo oportuno e inédito a importância da representação midiática.

Magos do Cubo (29 de julho)

Foto de cena
Resolver um cubo mágico em poucos segundos virou um fenômeno mundial nos últimos anos. Há quase uma década nesse novo esporte, o australiano Feliks Zemdegs reinou soberano até que o mundo da resolução competitiva de cubos mágicos se espantou quando Max Park levou a medalha de ouro em 2017. A partir daí, a ascensão de Max foi tranquila, exceto por um obstáculo: Feliks. Os dois vêm disputando títulos e quebrando recordes, mas em vez de desenvolverem uma rivalidade, Feliks e Max transformaram essa competitividade em uma amizade carinhosa e ao mesmo tempo complicada.

Max está no espectro autista e a família usa a resolução competitiva de cubos mágicos como terapia para estimular suas habilidades sociais e desenvolvimento emocional, sem nunca imaginar que o maior rival dele no esporte se tornaria um grande aliado para lidar com o autismo. Nossa história começa com Max e Feliks prestes a participar de mais um campeonato mundial. Os dois querem vencer e torcem pelo sucesso um do outro, mas só um será o campeão. Qual deles? E essa amizade vai conseguir sobreviver a tudo isso?

John à procura de aliens (20 de agosto)

foto de cena
John Shepherd tinha uma missão especial na vida: fazer contato com alienígenas. Ao longo de trinta anos, ele transformou a casa dos avós na zona rural de Michigan, nos EUA, em um incrível laboratório, de onde enviava música para milhares de quilômetros no espaço. John à procura de aliens mostra a ascensão e queda deste projeto científico de um homem só e conta a história mais ampla da necessidade humana de se conectar. Vencedor do prêmio de Melhor Curta-Metragem de Não-ficção no Festival de Sundance em 2020.