foto- reprodução -pintura de Monsenhor Domingos
O Vaticano autorizou o início do processo de beatificação do Monsenhor Domingos Evangelista Pinheiro, sacerdote que nasceu em Caeté, em 1843, e foi um dos guardiões do Santuário Basílica Nossa Senhora da Piedade – Padroeira de Minas Gerais, no século 19.

Neste sábado, 15 de setembro, começa oficialmente o processo de beatificação do sacerdote, no Santuário Basílica da Padroeira de Minas Gerais, às 14h20, na Basílica das Romarias. A programação contempla Missa presidida pelo arcebispo dom Walmor.  Participam da celebração o Postulador da Causa dos Santos da Santa Sé Apostólica, Paolo Vilotta, e as religiosas da Congregação das Irmãs Auxiliares de Nossa Senhora da Piedade. Logo após a Missa, será realizada procissão.

O processo de beatificação começa com a fase diocesana, em que serão reunidos documentos, relatos e outros elementos que comprovam as virtudes cristãs de Monsenhor Domingos. Concluída essa fase, o processo é enviado ao Vaticano, para a fase romana.

Um dos feitos marcantes de Monsenhor Domingos foi acolher meninas libertas pela Lei do Ventre Livre, em uma instituição de ensino criada pelo sacerdote aos pés do Santuário – o Asilo São Luís. Embora livres, essas crianças estavam em situação difícil, pois seus pais ainda eram escravos. Sensibilizado, e com o propósito de contribuir para a verdadeira libertação da população negra, monsenhor Domingos criou o Asilo São Luís em 1878, Lá, formou a primeira turma de professoras negras do Brasil, que continuaram o trabalho de formação das crianças no Asilo.

Posteriormente, para garantir a continuidade da obra, Monsenhor Domingos criou a Congregação das Irmãs Auxiliares de Nossa Senhora da Piedade, em 1892. Ainda hoje, a Congregação dedica-se ao Santuário e à educação, a partir de uma rede de instituições de ensino.  O sacerdote também foi o responsável por consolidar um período especial de grandes peregrinações ao Santuário, hoje conhecido como Jubileu da Padroeira de Minas Gerais, de julho a setembro.

A marcante trajetória do monsenhor Domingos Evangelista Pinheiro – sacerdote diocesano, do clero da Arquidiocese de Belo Horizonte -, com a sua dedicação ao Santuário da Padroeira de Minas Gerais e às pessoas mais sofridas, fez com que o povo, carinhosamente, passasse a chamá-lo de “O Evangelista da Piedade”. Esse reconhecimento também inspirou o Papa Pio X a destacar, oficialmente, a integridade, a tenacidade, o zelo religioso com o ministério, a atividade missionária e o trabalho dedicado aos pobres, do “Evangelista da Piedade”, conferindo-lhe o título de monsenhor – concedido pela Igreja aos padres que se destacam no exercício do ministério.

A vida de monsenhor Domingos

★ 21 de julho de 1843 – nasce o monsenhor Domingos Evangelista Pinheiro, em Caeté (MG).
★ O jovem Domingos Pinheiro vivencia o despertar de sua vocação sacerdotal no Santuário Basílica Nossa Senhora da Piedade.
★ Em 1859, aos 15 anos de idade, começa sua prepração para o sacerdócio no Seminário de Mariana.
★ 17 de janeiro de 1869 – é ordenado sacerdote. Torna-se responsável pelo Santuário Basílica Nossa Senhora da Piedade.
★ Agosto de 1876 – institui o Jubileu do Santuário, tempo especial de grandes peregrinações.
★ 1878 – cria o Asilo São Luís, para acolher crianças libertas pela Lei do Ventre-Livre.
★ 28 de agosto de 1892 – cria a Congregação das Irmãs Auxiliares de Nossa da Piedade, com doze jovens que haviam sido amparadas no Asilo.
★ 6 de março de 1924 – Falecimento do Monsenhor Domingos Evangelista Pinheiro. Uma multidão participa de seu velório, no Centro de Caeté.

Comentário