class="post-template-default single single-post postid-16389 single-format-standard wp-custom-logo blog-post header-layout-default">

Foto ilustrativa de transporte coletivo

O Índice de Preço ao Consumidor Semanal (IPC-S) de 22 de abril de 2021 variou 0,39% e acumula alta de 6,71% nos últimos 12 meses. Todas as sete capitais pesquisadas registraram decréscimo em suas taxas de variação.
Tabela do IPC por capital

Nesta apuração, quatro das oito classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo em suas taxas de variação. A maior contribuição partiu do grupo Transportes (2,45% para 0,77%). Nesta classe de despesa, cabe mencionar o comportamento do item gasolina, cuja taxa passou de 6,91% para 2,26%.

Também registraram decréscimo em suas taxas de variação os grupos: Habitação (0,53% para 0,31%), Vestuário (0,16% para -0,04%) e Despesas Diversas (0,52% para 0,36%). Nestas classes de despesa, vale destacar o comportamento dos itens: tarifa de eletricidade residencial (0,46% para -0,09%), relógios e bijuterias (0,25% para -0,88%) e serviços bancários (0,65% para 0,36%).

Em contrapartida, os grupos Alimentação (0,12% para 0,28%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,87% para 1,00%) e Comunicação (0,33% para 0,36%) apresentaram avanço em suas taxas de variação. Nestas classes de despesa, vale citar os itens: hortaliças e legumes (-4,59% para -3,69%), medicamentos em geral (1,06% para 1,77%) e combo de telefonia, internet e TV por assinatura (0,62% para 0,72%).

O grupo Educação, Leitura e Recreação repetiu a taxa de variação de -0,76% registrada na última apuração. As principais influências partiram dos itens: artigos esportivos (-0,20% para 1,96%), em sentido ascendente, e bicicleta (1,07% para 0,78%), em sentido descendente.