Foi retomada a operação da mina da mineradora Vale em Minas Gerais, a mina de Brucutu que se encontrava paralisada desde fevereiro deste ano, cuja barragem de rejeitos, situada no distrito de Cocais, no povoado de Brumadinho, foi interditada por uma ação judicial, que solicitava garantias de segurança em diversas estruturas. A paralisação da barragem de Laranjeiras (Brumadinho) no distrito de Cocais, ocorreu em liminar concedida pelo Tribunal de Justiça (TJMG). No dia 19 de março, porém, uma nova decisão assinada pelo juiz Michel Curi liberou a barragem da mina de Brucutu, em Barão de Cocais. Três dias depois, no dia 22 de março, a juíza da Comarca de Barão de Cocais, Renata Borges, tornou inviável a retomada das operações da mina de Brucutu, em São Gonçalo do Rio Abaixo, divisa com o município de Barão de Cocais, onde está situada a barragem do distrito de Cocais. No dia 16 de abril, o presidente do TJMG, desembargador Nelson Missias de Morais derrubou parcialmente as determinações da juíza Renata Borges, da comarca de Barão de Cocais. A referida decisão do desembargador, foi o retorno integral da mina de Brucutu em 72 horas. Inaugurada em 2006, Brucutu foi anunciada como a maior mina de minério de ferro do mundo em capacidade inicial de 30 milhões de toneladas de minério de ferro, sendo hoje superada pela mina de Carajás, no Pará.
*Leonel Marques

Comentário