A mineradora Vale contratou as empreiteiras Andrade Gutierrez e Barbosa Melo para construir um megamuro de 35m de altura (equivalente a um prédio de 12 andares) para barrar a lama, devido ao risco de rompimento da barragem Sul Superior da mina Gongo Sôco, em Barão de Cocais. O muro de 35m de altura, 10m de espessura, 5m de fundação e 400m de extensão, orçado em R$ 500 milhões, servirá para conter os rejeitos da barragem de Gongo Sôco, que para o nível 2 para o 3, em 22 de março, data da evacuação dos moradores dos povoados de Socorro, Tabuleiro e Piteira.

O muro começa a ser construído dentro de 20 dias, a 6km de distância da barragem de Gongo Sôco e a obra vai cercar as comunidades de Socorro, Tabuleiro e Piteira que ficarão inacessíveis pela lama em um eventual rompimento da barragem. A mineradora Vale conseguiu um licença prévia emergencial da Secretaria Estadual de Meio Ambiente para dar início às obras do megamuro e uma extensa área, precisará ser desmatada.

A construção vai gerar em torno de 300 empregos diretos. Após a conclusão da obra, a Vale dará início ao descomissionamento da barragem Sul Superior da mina de Gongo Sôco, que deve levar em torno de um a três anos. O rejeito deve ser depositado na cava, para ser reaproveitado.
*Leonel Marques

Comentário