O jornalista e historiador Leonel Soares Marques (Leon Smar) completa nesta terça-feira, dia 16 de maio, 48 anos de jornalismo prestados em Barão de Cocais e região do Caraça. Também no dia 24 de maio, Leonel comemora 50 anos de profissão – jornalista, carreira iniciada no Vale do Aço, em Ipatinga. Ex-repórter- correspondente do jornal Estado de Minas (Diários Associados- MG), entre os anos de 1971 a 2006, ou seja, durante 35 anos, Leonel Marques é testemunha de todos os acontecimentos sóciopolíticos no município e região. Desde o ano de 1969 até o ano de 2004, foi assessor de imprensa de todos os prefeitos de Barão de Cocais. Nesta época, assinava a Coluna Cocaiense no extinto jornal O Santa Bárbara, em Santa Bárbara. No ano de 1971, escrevia para o jornal estudantil cocaiense “O Farol” e entrevista o dono da empresa siderúrgica CBUM (atual Gerdau), o empresário carioca Cecil Owen Walter Hime (tio do cantor, compositor e pianista Francis Hime, da MPB). Embora a história de jornalismo de Leonel Marques em Barão de Cocais, onde nasceu no dia 29 de maio de 1948, tenha completado 48 anos de profissão, agora em 2017, ele começou a sua atividade profissional em Ipatinga, no Vale do Aço, onde foi pioneiro da Usiminas e residiu no bairro do Cariru (daí o título de poeta do Cariru) por oito anos com seus pais, que também foi pioneiro da Usiminas.
Leonel trabalhava na empresa siderúrgica mineira que se despontava na década de 1960 como aprendiz e depois tradutor técnico de Inglês, sendo intérprete da Usiminas, quando colabora aos 17 anos de idade com o Usiminas-jornal, entre os anos de 1963 a 1967. Ao se desligar da empresa como estudante de jornalismo, estagiou na recém-criada Rádio Educadora de Coronel Fabriciano como redator. Como repórter do jornal “O Flan” e da rádio, ele entrevistou no dia 24 de maio de 1967 (data inicial dos 50 anos de jornalismo) o príncipe herdeiro do Japão, Akihito (atual imperador do Japão) e a princesa Michiko, hoje imperatriz. Era a sua primeira reportagem como jornalista do Vale do Aço. A entrevista ocorreu no bairro Castelo, no Grande Hotel de Ipatinga, nos idiomas japonês e inglês. Poliglota, Leonel entende japonês, francês, italiano, espanhol, alemão, grego e latim -os dois últimos idiomas clássicos aprendidos nos cursos de Humanidades com os padres jesuítas no bairro Cariru, em Ipatinga.
Leonel retornou à sua terra natal, Barão de Cocais, no dia 4 de março de 1969, enamorado da Musa do Cariru, mulher inspiradora de seus poemas e canções (letras e melodias) compostas ao piano no bucólico bairro da Usiminas, o Cariru, onde é jubilado poeta da mulher amada, daí o título de poeta do Cariru. Em Barão de Cocais ingressou no IBGE, através de concurso público federal e realizou os censos demográficos, agropecuários e econômicos nos anos de 1970, 1975 e 1980. Mas a sua vocação era o jornalismo, quando em 1971 se tornou repórter-correspondente do jornal Estado de Minas até 2004 e passou a colaborar na rádio Guarani e na TV Itacolomi, ambas dos Diários e Emissoras Associadas. Durante estes 48 anos de jornalismo, escreveu em mais de 30 jornais e revistas da região do Caraça e do Médio Piracicaba, Vale do Aço, Espírito Santo e Goiás, onde residiu durante três anos, entre os anos de 1976 e 1979. Recentemente, até dezembro de 2016, escreveu no jornal Acontece (Caeté-Barão de Cocais), que circulou na cidade durante 12 anos ininterruptos. Atualmente exerce o jornalismo digital, editando matérias para o site aconteceonline, do jornalista Paulo Antônio, ex-editor do jornal Acontece.
Jornalista e historiador, Leonel Soares Marques é membro do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais (IHGMG), em Belo Horizonte, membro da Academia de Letras Municipais do Brasil (SP) e membro da Associação dos Ex-Alunos Lazaristas e Amigos do Caraça (Aealac). Graduado em Jornalismo pelo Instituto Cultural Monteiro Lobato, 1969, curou História da Arte e Pesquisa em História, ambos os cursos da UFMG, em 1971 e 1972, e ainda fez o curso de Redação em Jornalismo, em 1988, na Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas). Sócio-fundador do Lions Clube de Barão de Cocais (1974-1984) e do Lions Club de Santa Bárbara (1985-1992), foi agraciado com o título de Cidadão Benemérito (Honra ao Mérito)(, outorgado pela Câmara Municipal de Barão de Cocais, no dia 29 de maio de 1998, dia de seu aniversário natalício.

Comentário