class="post-template-default single single-post postid-2670 single-format-standard wp-custom-logo blog-post header-layout-default">

A Câmara Municipal de Barão de Cocais, presidida pelo vereador João Batista Pereira, aprovou Moção de Congratulações à centenária Banda de Música Santa Cecília e ao Coral Yolando dos Santos, pela comemoração dos 114 anos de fundação. A autoria do projeto foi da vereadora Marisa Cristina Lopes que afirmou em preservar a centenária Banda de Música cocaiense, patrimônio cultural do município.

A manifestação de Congratulações à banda e ao coral foi uma homenagem do Legislativo pelos 114 anos de existência, sempre abrilhantando as festividades religiosas culturais e cívicas de Barão de Cocais. Fundados em 15 de abril de 1905, a banda e o coral fazem parte da história do povo cocaiense, sempre presentes nos momentos mais importantes do município. Segundo a vereadora Marisa Lopes, a Banda de Música da cidade foi escola para muitos músicos e por um bom tempo, foi a única fonte de música e cultura da comunidade.

Uma das presenças marcantes da Banda de Música Santa Cecília foi por ocasião da primeira corrida de ferro gusa do alto forno nº 1 da Companhia Brasileira de Usinas Metalúrgicas (CBUM, atual Gerdau) na madrugada do dia 31 de dezembro de 1925, ou seja há 94 anos. Também marcou presença durante a instalação da cidade de Barão de Cocais, emancipada de Santa Bárbara no dia 31 de dezembro de 1943 e na posse do primeiro prefeito nomeado, o odontólogo Neddy Coutinho Gosling, no dia 14 de fevereiro de 1944.

Em 2014, há cinco anos, a centenária Banda de Música e o Coral Yolando dos Santos foram registrados como Patrimônio Cultural de Barão de Cocais, em reconhecimento por mais de um século ensinando gerações d e músicos e preservando a nossa história. O atual maestro, Alexandre Lacerda tem ensinado jovens músicos como da Orquestra de Flautas e Coral Infantil Yolando dos Santos. Muitos desses músicos cocaienses estão cursando faculdade de música em diversas regiões de Minas Gerais e do Brasil.
*Leonel Marques

Comentário