Tesouro Nacional aponta crescimento da dívida pública em relação ao PIB até 2022

A Coordenação-Geral de Planejamento Estratégico da Dívida Pública apresentou nesta quarta-feira (26/6), após a coletiva do Resultado do Tesouro Nacional, um relatório com projeções para a dívida pública brasileira.

O documento mostra crescimento acentuado da dívida pública em proporção ao PIB, do patamar de 51,5% do PIB em 2013 para 80% do PIB em 2019.

A projeção mostra que, considerado o cenário base, o pico do crescimento da dívida será em 2022, quando vai atingir 82,2% do PIB. Em uma análise de risco, os 30% dos cenários mais favoráveis apontam para uma faixa que vai de 65,1% da dívida x PIB no melhor cenário, para 77,2 % no pior cenário em 2028.

O documento considera ainda para as projeções apenas a implementação do teto de gastos, ou seja, não leva em conta a possibilidade de aprovação ou não da Nova Previdência e de outras medidas econômicas.

Para a coordenadora de Planejamento Estratégico da Dívida Pública, Lena Carvalho, o caminho para redução do endividamento a níveis de dívida inferiores passa pela consolidação do ajuste fiscal em curso.

Para a redução da proporção dívida x PIB a patamares de países com grau de investimento em torno de 50% do PIB, por exemplo, seria necessário que o país obtivesse um primário adicional de 2,37% em 2028, além dos 2% previstos no cenário base.

Em comparação com outros países emergentes, como índia, Chile, México e Argentina, o Brasil está entre os que mais pagam juros sobre a dívida pública.