O Corpo de Bombeiros afirmou domingo, dia 16, que a movimentação do talude da mina do Gongo Sôco, em Barão de Cocais (MG) chegou a 56cm. Esta é a extensão da movimentação desde que o alerta para o desabamento do talude foi dado em maio deste ano. De acordo com os bombeiros a tendência é de deslocamento do paredão para o fundo da cava da mina do Gongo Sôco.

No dia 31 de maio, um fragmento de cerca de 600m² (30m x 20m, equivalente a um prédio de nove andares) se desprendeu do paredão da mina. A movimentação do talude, foi identificada em 2016 e nos últimos três anos, era de 10cm por ano. De maio deste ano até agora, a movimentação já atingiu 56cm. Na ocasião do deslizamento, a mineradora Vale, informou que a barrragem Sul Superior da mina de Gongo Sôco, situada a 1,5km do talude, não foi afetada pela queda da porção do paredão e que as “avaliações indicam que o material está deslizando de forma gradual. Até o momento, corrobora as estimativa de que o desprendimento do talude, deverá ocorrer sem maiores consequências”
A princípio, a mineradora Vale, a Defesa Civil e a Associação Nacional dos Município (ANM) temiam que as constantes movimentações do talude provocasse a sua a queda de forma abrupta, abalando a barragem Sul Superior da mina do Gongo Sôco, em Barão de Cocais.
*Leonel Marques, de Barão de Cocais

Comentário